MOTOGP: FÁBRICAS JÁ TÊM OS PILOTOS PARA 2019; CONFIRA O GRID

Equipes oficiais de Honda, Yamaha, Suzuki, Ducati, KTM e Aprilia já contrataram as duplas de pilotos que correrão a próxima temporada

Apenas um terço das corridas deste ano da MotoGP ocorreram, mas o início da temporada 2019 já parece bem definido. Os principais pilotos já tiveram novos contratos firmados para os próximos anos, nas equipes atuais ou para se mudarem, e após a definição das últimas vagas na Suzuki e na Aprilia não há mais assentos vagos nas equipes de fábrica. 

A Suzuki confirmou no fim da semana passada que Andrea Iannone não teria o contrato renovado, e este fechou acordo para ocupar a segunda moto da Aprilia (Aleix Espargaro continuará na outra moto). Somente hoje os japoneses confirmaram que o substituto de Iannone será o espanhol Joan Mir, campeão da Moto3 em 2017 que nesta temporada corre pela Marc VDS na Moto2.

Nas outras motos de fábrica estão confirmados para 2019 Alex Rins na outra Suzuki; Jorge Lorenzo recém-confirmado para a segunda Honda ao lado do atual campeão Marc Marquez; Danilo Petrucci sendo promovido da satélite Pramac para a Ducati oficial junto com Andrea Dovizioso; Valentino Rossi e Maverick Viñales na Yamaha, formando a única dupla que será mantida no próximo ano; e Pol Espargaro com Johann Zarco na KTM, este deixando a satélite Tech 3. 

Entre os pilotos que perderam assentos nas motos de fábrica, apenas Dani Pedrosa não conseguiu se recolocar e pode agora passar a uma equipe satélite. Até agora a única que confirmou a dupla de pilotos foi a Tech 3 KTM (Miguel Oliveira será promovido da equipe de fábrica na Moto2 e Hafizh Syahrin seguirá no time), enquanto as outras ainda estão definindo contratos com patrocinadores e para fornecimento de motos. A Tech 3 foi justamente a primeira a anunciar que se uniria à KTM, deixando de ser satélite Yamaha e de correr com motos defasadas, pela promessa de ter as mesmas motos do time oficial KTM a partir do próximo ano. 

No extremo oposto a Marc VDS, que deixaria a Honda para se tornar a satélite da Yamaha, atravessa a maior incerteza: depois do destrato entre o proprietário e o chefe de equipe, que também era sócio, não sabem sequer se continuarão na categoria em 2019. Nas outras satélites a tendência é que a LCR continue a parceria próxima com a Honda, pilotada por Cal Crutchlow (não há notícias sobre a manutenção do novato Takaaki Nakagami), e a Pramac com a Ducati, que já anunciou o piloto da Moto2 Francesco Bagnaia como substituto de Petrucci e pode seguir com Jack Miller na outra moto. Restam as definições da Avintia e da Angel Nieto, ambas atualmente correndo com motos Ducati.   

 

©Copyright Duas Rodas. Para adquirir direitos de reprodução de conteúdo, textos e/ou imagens: marcelo@revistaduasrodas.com.br